Arquivo da categoria: Cristiano

Papai Cris

Juju você tem um papai que faz questão de participar de tudo. Ele está super envolvido com cada coisinha ou detalhe sobre você. Acho que agora ele tem mais segurança, afinal já é papai de segunda viagem. Ser a segunda filha é bom por isso, você ganhou pais mais experientes, sem tantas neuras, estamos aqui só te curtindo, nós curtimos a Mari também, mas de forma diferente, com a Mari nós tínhamos mais medos e receios, com você tudo é mais tranquilo. Prova disso são essas fotos que mamãe fez de vocês:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Cristiano, Juliana, Momentos especiais

Feliz aniversário meu amor!

Hoje é um dia muito especial, você completa mais um ano de vida!

Como é bom estar ao seu lado para comemorar contigo tantas vitórias.

Tudo o que eu posso fazer por você, eu faço e ainda acho pouco, porque você merece sempre mais.

Seu presentinho está a caminho dentro da minha barriga, mas fico tão feliz em saber que você reconhece que o maior presente que você tem é a sua família, que você tem cuidado com tanto zelo.

Eu sei que você não gosta de comemorar aniversários, mas sua esposa é festeira, então essa surpresinha eu e Mari preparamos pra você. Feliz aniversário, meu amor!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Arquivado em Cristiano, Momentos especiais

Para você meu amor!

Apenas mais uma de amor (Lulu Santos/Nelson Motta)

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido

Como uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer

Eu acho tão bonito isso
De ser abstrato baby
A beleza é mesmo tão fugaz

É uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer

Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar
Subentendido

Como uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer

Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer

Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
E eu vou sobreviver…
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber

Que eu tenha muito anos ao seu lado, esse só foi o sétimo comemorando juntinho, ainda virão muitos outros para gente se amar. Feliz aniversário! Te amo!

8 Comentários

Arquivado em Cristiano

Bodas de madeira

Ontem foi um dia muito especial para mim e meu marido. Completamos cinco anos de casados!

Sinceramente parece que faz mais tempo que estamos casados, pois nesses cinco anos vivemos tantas coisas, enfrentamos problemas, dificuldades, tivemos tantas lutas. Mas também tivemos tantas vitórias, alegrias, sorrisos, gargalhadas e aventuras.

Todo casal tem seus dias bons e seus dias maus, nós dois também temos. Afinal somos opostos para nos atrair e somos semelhantes para nos manter!

Quero que venham muito mais anos pela frente para comemorarmos sempre!

Como fotos falam mais que mil palavras, fiquem com nossas fotinhos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

5 Comentários

Arquivado em Cristiano, Eu, Momentos especiais

Papai Cris

Eu poderia ficar aqui falando e falando, usando toda a minha verborragia, mas o papai Cris sabe o que ele é para a Mari, e…

…Imagens falam mais que mil palavras!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Feliz dia dos pais!

18 Comentários

Arquivado em Cristiano, Momentos especiais

Post atrasado do dia dos namorados

Olá pessoal!

Ando meia sumidinha daqui, né? Mais, eu sou assim mesmo, tem horas que me abro e tem horas que gosto de ficar quietinha no meu cantinho, assim bem reservada.

Dia dos namorados foi maravilhoso, aliás nós não precisamos de um dia para fazer ser maravilhoso, mas se dizem que dia 12 de junho é dia dos namorados, a gente aproveita e entra no clima dos apaixonados, né não?

Eu passei o dia sem fazer nada, o meu namorado fez almoço e cuidou da filha o dia todo, delícia demais! Eu fiquei na minha deliciosa cama, debaixo do meu edredon, lendo meus livros, com o notebook no colo, zuando no twitter, assistindo um ou outro jogo que passava na tv, e conversando com amigas no msn, sem sair da minha cama. Ah, quem é mãe sabe que dias assim são raríssimos. Então, aproveitei ao máximo, esse dia de não fazer nada.

De noite, Cris me chamou para jantar fora. Eu sabia que ía ser uma loucura, visto que todo os namorados tem a mesma idéia no dia 12. Mas, topei! Nos agasalhamos bem, porque estava um frio danado. Pausa – eu moro aqui a seis anos e nunca tinha passado um inverno como esse aqui no rio, as temperaturas estão baixinhas, bem clima de São Paulo, aí a Dona Ju vai pra lá, e fica me colocando água na boca. Despausa. Deixamos a Mari com a tia Creuza e fomos para o shopping. Achar um lugar para sentar, foi uma proeza, visto a quantidade de pessoas naquele lugar. Mas, nem isso tirou o nosso bom humor. Jantamos calmamente, demos uma volta e voltamos rumo ao nosso lar quentinho.

Coloquei Mari para dormir, e a noite você não precisam saber… hahahahaha 😉

E foi assim!

Este slideshow necessita de JavaScript.

12 Comentários

Arquivado em Cristiano, Eu

Vida a dois

Aproveitando que mais cedo, escrevi sobre o meu maridinho, me lembrei de algumas coisas do início do meu casamento.

Para mim, o início foi o mais difícil. Geralmente, as pessoas começam a ter problemas depois de um ano ou mais, mas o meu primeiro ano que foi complicado.

Eu sempre fui super independente, sempre trabalhei, tive meu dinheiro, nunca dei satisfações da minha vida a ninguém, nem a minha mãe. Não estou dizendo que era rebelde, nada disso, só era independente. E depois que a gente casa, certas coisas mudam, e isso foi uma delas. Depois de casada eu não podia decidir as coisas sozinha. As decisões tinham que ser tomadas juntas, e muitas vezes eu me esquecia completamente disso, e quando via já tinha feito e acontecido, deixando o Cris de fora. Tivemos diversas discussões por causa disso. Até que fui me ajustando a minha nova condição de senhora casada, hahahaha.

Outra coisa que desgastou muito o início, foi a distribuição de tarefas. Eu nunca fui do lar, e ainda não sou, não tive a responsabilidade de lavar, passar, cozinhar, arrumar, nada disso. A única coisa que fazia quando morava com a minha mãe, era manter as minhas coisas organizadas, porque o resto ela fazia. Eu trabalho fora de casa, desde os catorze anos de idade, e sempre traabalhei e estudei. Lá em Sampa, acordava cinco e meia da manhã, saía de casa as seis e só chegava por volta de meia noite. Essa era a rotina diária. Final de semana, eu saía, dormia, visitava parentes, fazia trabalhos da escola ou faculdade, não tinha tempo, e nem vontade, de ficar presa a serviços domésticos. E minha mãe também nunca me cobrou nada disso. Enfim, não fui criada para cuidar de casa.

Então, depois que casei, passei a ter essa responsabilidade. Apesar, do Cris me ajudar e me compreender nesse sentido, tivemos muitos problemas com isso. Um porque eu não pedia ajuda, eu achava que ele tinha que se disponibilizar por livre e espontânea vontade. Dois porque ele não se disponibilizava. Era assim, a gente chegava do trabalho e ele ía para o computador, ou ver TV, e eu ía agitar as coisas, ver o que iríamos comer, etc. E eu ficava com raiva e não fazia nada. Mas, também não falava, o que era um grande erro. Então, quando ele ía procurar comida, ou roupas limpas, nunca tinha. Ele se estressava, eu já estava estressada, e acabavamos brigando.

A solução foi dada por ele, que me falou para pedir ajuda, dizer o que eu queria que ele fizesse. E as coisas mudaram e melhoraram 100%. Porque a tola aqui, achava que ele tinha que saber o que deveria fazer, sem que eu precisasse mandar. Mas, tudo o que eu pedia para ele fazer, ele fazia. Então, ficando mais sábia pensei, “se eu peço e ele faz, porque não vou pedir. Bora largar de orgulho bobo e melhorar as coisas por aqui“. E assim foi feito, eu falava: “Cris, coloca a roupa na máquina de lavar. Ele colocava. “Cris, lava o banheiro“. Ele lavava. “Cris, corta os legumes e faz o arroz“. Ele fazia. “Cris cozinha o feijão e faz a carne“. Assim era feito. “Cris limpa o quintal“. O quintal era limpo. E é assim até hoje, tudo o que eu peço ele faz. Mas, eu tenho que pedir. Hoje, já acostumei, mas antes eu realmente achava um cúmulo eu ter que pedir, eu achava que ele tinha que saber o que fazer. E resolvemos esse problema com a tal comunicação.

Deve ser por isso que todos dizem que o segredo de um casamento está na comunicação. Aqui nós aprendemos isso a duras penas. Chorei muito por coisas tão bobas, que se eu só abrisse a boca e falasse, estaria pronto.

Hoje, tem certas coisas que eu não preciso mais pedir, ele já acostumou também aos serviços domésticos. Se ele ver o cesto de roupas sujas cheio, ele mesmo coloca na máquina, pendura no varal, vigia se já secou, tira do varal, dobra o que é de passar e guarda nos armários e gavetas o que não tem necessidade do ferro. Se ele vê que tem louça suja, ele lava. Se ele suou muito durante a noite, ele levanta da cama e troca os lençois. Tudo sozinho, sem que eu tenha que pedir. Mas, algumas coisas eu peço e sempre sou atendida. Assim, vamos dividindo essas coisas que parecem bobas, mas que viram bolas de neve se não nos ajudarmos.

E eu tenho uma grande vantagem, meu marido é super organizado. Isso ajuda horrores, e nunca precisei reclamar por toalha molhada em cima da cama, hahaha, isso ele nunca fez.

É realmente difícil se ajustar a uma pessoa diferente de você, mas com amor e comunicação a gente chega lá. Os dois vão cedendo aqui e ali, e nunca fica pesado, nem para um e nem para o outro.

Depois, da chegada de Mariana, as coisas melhoraram mais ainda, porque ele também passou a dividir os cuidados dela comigo. Ele dá banho, dá comida, conta história, brinca, ajuda no dever de casa, leva ao médico, é um paizão. E eu só tenho a agradecer a Deus, por um marido tão precioso!

Então, para você que me lê e quer casar, saiba que nem tudo são flores, mas com amor dá para superar os espinhos.

E como diria o Luciano Huck: “Se você quer casar para ser feliz, não case. Só case se for para fazer o outro feliz!

8 Comentários

Arquivado em Cristiano, Eu, Trocando experiências