Rio

O post de hoje é longo e chato, mas eu estou precisando desabafar e aqui é o meu cantinho, onde posso fazer isso. Então, peço a você que não tente achar lógica em nada do que vou escrever aqui e se não quiser ler também, fique à vontade, porque eu estou bem pra baixo mesmo. Ah, mas não se esqueçam de que eu sou sanguínea e posso mudar meu estado de espírito a qualquer segundo.

Todo mundo deve estar acompanhando a onda de ataques que bandidos estão fazendo por toda a região metropolitana do Rio, isso inclui Niterói e São Gonçalo, lugares onde eu trabalho e resido. Meu marido também trabalha no Rio e ontem ele estava na Tijuca. É claro que fiquei o tempo todo pedindo a Deus que o protegesse, porque nessa hora não dá pra contar com polícia ou política, só Deus mesmo.

Eu confesso estar anestesiada com isso tudo, não sei o que pensar e nem o que dizer direito. É inacreditável que num país alegre e festivo como o nosso, estejamos enfrentando uma guerra, com terrorista e tudo. Parece mais um roteiro de cinema, aliás, quem viu Tropa de Elite 2, sabe do que estou falando. Mas quem dera que fosse só um filme, que não fosse à realidade que o carioca está enfrentando.

Eu amo esse lugar aqui, meu coração se divide entre SP e RJ. Em Sampa está a minha família (pai, mãe, avó, tios, tias, primos e primas) e os meus amigos que me virão crescer, foram 20 anos morando lá, minha vida e formação vem de lá. Aqui no RJ está à família que eu formei (marido e filha), foi aqui que eu escolhi viver e tive a benção de Deus para isso. Fico entristecida com tudo o que estão fazendo com um lugar tão lindo.

Viver prisioneira no lugar onde se mora é triste. Não poder sair de casa, ter medo de ir a um shopping, a praia ou trabalhar, não é algo que alguém queira viver. É lógico que a vida não pode parar, mas muitas vezes o medo me paralisa totalmente. Eu que sempre tentei vencer os meus medos, que até pulei de paraquedas, que não tenho medo do mar só porque ele quase levou a minha vida. É cruel eu ter medo de sair de casa ou ficar morta de preocupação com meu marido que está na rua.

Ontem, ele chegou a casa meia-noite, disse que vários tanques do exército estavam indo em direção ao Rio. É ou não é uma guerra? Que a violência aqui sempre foi assustadora, não é nenhuma novidade, mas agora está mais que assustadora, se é que isso é possível.

Meu primo veio hoje de manhã de Queimados e disse que o negócio está feio por lá também. Os pais não estão mandando as crianças para a escola, o pessoal está indo pro Rio trabalhar de trem com medo de ter os carros incendiados. O governador vai pra TV e fala que não é necessário pânico e que as pessoas podem seguir com a vida normalmente. Eu me pergunto: “como?” Sinceramente eu não consigo levar a vida normal com tudo isso acontecendo ao meu lado.

Agora não aparece ninguém dos direitos humanos para falar nada, mas na hora que a polícia prender todo mundo e não tiver cadeia para todos eles, os direitos humanos aparecem pedindo condições dignas para eles. Mas hoje são eles que estão nos impedindo de viver, são eles que nos fazem prisioneiros em nossa própria casa, são eles que matam, incendeiam, causam pânico, tocam o terror e cadê o meu direito humano garantido em constituição de ir e vir? Esse não existe por aqui.

Às vezes eu preciso ir a um cliente demonstrar um site e preciso levar o meu notebook, vou com um medo desgraçado de ser assaltada. Meu marido me deu um Iphone de presente, que eu morro de medo de usar na rua. Eu não atravesso a ponte de carro, tenho verdadeiro pânico de acontecer algum arrastão e estarmos no meio e não conseguir tirar a minha filha da cadeirinha a tempo de acontecer alguma tragédia.

Aí, você pode me dizer, mas você não deve pensar assim, tem que pensar positivamente. Uma das maiores qualidades de um sanguíneo é ser positivo, mas nesse clima de terror está impossível pensar positivo, está impossível não pensar em tudo isso e não ser tomado por pânico.

Ok, eu sabia que tudo isso iria acontecer, está tudinho escrito lá na bíblia no livro que eu já li várias vezes (apocalipse). Só me dá vontade de dizer: “Jesus volta logo, tá difícil!” Ser julgada por maliciosa eu aguento, mas isso não.

Sei que tem muitas pessoas orando pelo Rio, clamando por essa cidade que é sim maravilhosa, mesmo que bandidos tentem dizer que não. Só peço a todos vocês que continuem clamando. Que as autoridades consigam resolver logo isso, que transfiram os presos necessários para penitenciárias de segurança máxima. Que prendam quem precise ser preso. Que os financiadores disso tudo percebam que não fazem mal só a si mesmo, que eles vejam que o baseadinho deles afeta todos ao redor deles. Que as igrejas parem de querer arrecadar dinheiro, que parem de olhar só para a porta de entrada, que elas olhem para a porta de saída também. Muitos dos bandidos que estão envolvidos nesse terror conhecem a palavra de Deus, mas não foram tratados como deveriam dentro das igrejas. Eles pagarão por tudo isso no dia do juízo, mas os pastores que não os ensinaram quando tiveram chance também responderão a Deus. Eles são vidas perdidas que precisam achar salvação, mas nem por isso a sociedade pode passar a mão na cabeça deles. Eles terão que pagar por tudo isso, de uma forma ou de outra.

Meu coração angustiado, entristecido e apavorado clama por dias melhores, hoje está cruel! Mas Rio eu amo você!

 

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Notícias

4 Respostas para “Rio

  1. É amiga, por aqui estou vendo td de perto e se sentir, ou melhor estar no meio de uma guerra, é horrível. Estou c/ sentimento de ipotência, eles, os bandidos tomando o poder da situação, onde vamos parar?
    O 1° ataque foi pertinho de casa, da minha casa dava p/ ver e hj 2 ataques pertinho aqui do trabalho, daqui dava p/ ver a fumaceira do incêndio e os helicópteros sobrevoando o local.
    A única atitude que podemos tomar é orar e pedir a Deus que nos proteja e que isso td cesse o mais s breve.
    Bjs!

  2. Oi querida!

    Realmente o Rio tá um caos! Ontem arrisquei sair de casa para ir aqui do lado, no shopping, porque eu tinha uma radiografia marcada. Quando saí do shopping com o meu pai (é, eu estava com medo de ir sozinha), nos deparamos com os helicópteros, caveirão, carros da PM e tiros. Confesso que senti medo, muito medo.
    O cenário é triste. Lojas fechadas, poucas pessoas nas ruas, polícias por todo o lado.
    Bom, estou evitando sair de casa. Não tenho ido à aula, nem ao curso e agora nem ao shopping irei mais enquanto isso não passar.

    Tenho orado para que Deus tenha misericórdia de nós e que o Seu amor seja derramado sobre a cidade do Rio de Janeiro.

  3. Ivinha

    Pensei em vários amigos ( incluindo vc) e e liguei para alguns para saber como estão. Isso é uma guerra civil! Precisamos clamar. Se cuidem tá, bjus

  4. Ai, amiga… Que aperto me deu lendo esse post! Apesar de só ter ido ao Rio duas vezes na vida – e a primeira eu era pequena demais pra me lembrar – tenho tantas pessoas queridas aí que não consigo mesmo ficar alheia a tudo. Estou orando por vocês e pela cidade também.

    Lembro-me de quando houve a greve de motoristas aqui em BH, que estavam tacando fogo nos ônibus… Já foi desesperador demais, não quero nem imaginar o que vocês sentiram.

    Por tudo que tem acontecido, eu acredito que Jesus já está quase voltando, mas nós temos que fazer a nossa parte pra alcançar essas vidas, né? 😦

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s