Querido John – Livro e Filme – Nicholas Sparks

O que você faria com uma carta que mudasse tudo?

Sinopse

Quando Savannah Lynn Curtis entra em sua vida, John Tyree sabe que esta pronto para começar de novo. Ele, um jovem rebelde, se alista no exército logo após terminar a escola, sem saber o que faria de sua vida. Então, durante sua licença, ele conhece Savannah, a garota de seus sonhos. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah jure esperá-lo concluir seus deveres militares. Mas ninguém pôde prever que os atentados de 11 de Setembro pudessem mudar o mundo todo. E como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu amor por Savannah e seu país. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, John descobre como o amor pode transformar as pessoas de uma forma que jamais poderia imaginar.

Imagem e sinopse retirada do skoob do livro.

 

Sabe um livro que te faz rir, chorar, se emocionar, sentir raiva, frustração, ficar alegre, ficar triste novamente, e pensar nas pessoas e na causa de suas atitudes, e se perguntar porque a humanidade é tão burra? Esse é o livro.

Nicholas Sparks me surpreendeu em muitos momentos com sua forma de falar de coisas tão complexas de uma forma simples, linda e romântica. Eu que sou uma romântica assumida me derreti. O no final do livro me fez uma pergunta: “Por que o Nicholas simplesmente não gosta de finais felizes? Um ‘happy end’ seria bem melhor, pelo menos eu não ficaria tão triste. Mas, nem sempre a vida tem o final que desejamos, isso não significa necessariamente que o final não possa ser feliz. Eu tô falando do final? Então, vamos voltar ao início.

John, um rapaz rebelde abandonado pela mãe e que vive somente com o seu pai metódico, resolve se alistar para o exército americano. Até aqui tudo certo, ok? Em uma de suas licenças ele conhece Savannah, e se apaixonam. Apesar, de passarem pouco tempo juntos, eles vivem intensamente esses momentos. E são momentos lindos! Que nos fazem suspirar, tamanho o romance envolvido. Até a primeira briga do casal é envolvente de tão real, afinal que casal nunca se desentendeu.

John está apaixonado, mas tem que voltar para cumprir o restante do seu alistamento. Savannah promete esperá-lo. E durante esse tempo eles trocam inúmeras cartas. Em um ano estariam novamente juntos, até que o dia 11 de setembro muda tudo. Com a guerra no caminho do John, ele tem que escolher voltar e viver com o seu grande amor ou defender o seu país. Ele escolhe defender o seu país, Savannah diz que entende, mas será que ela entendeu mesmo?

No livro nós temos acesso aos pensamentos de John, então é difícil saber o que se passa com Savannah, só sabemos o que ela diz ao John. Mas, a impressão que temos é que John a ama mais, pois ela não o teria deixado se o amasse na mesma intensidade, pelo menos é o que eu penso. Ela estava sofrendo com a ausência dele, ok eu entendo isso. Mas, ele também sofria por estar longe dela.

O melhor do livro fica por conta do pai do John. Não quero contar aqui o que acontece com ele. Mas, é lindo de ver a relação dos dois crescendo, John amadurecendo e entendendo o seu pai. Pelo menos para isso a Savannah serviu, mostrar ao John certas coisas que ela não via antes, principalmente em relação ao seu pai.

E a atitude do John em relação ao Tim é magnífica, prova o quanto John é bom! E no fim eu fiquei com vontade de colocar John no colo, alisar sua cabeça e dizer que toda aquela dor iria passar e que ele iria encontrar alguém que o valorizasse verdadeiramente. E que a mulher que fizesse isso seria a mais feliz do mundo, por ter alguém tão maravilhoso ao seu lado. Mas, acho que de certa forma ele sabe que isso aconteceria.

Agora falando do filme, eu gostei muito. A história não muda muito do que eu disse até aqui, exceto pelo fim. Como, no filme tive uma visão mais ampla de todos os personagens e não fiquei tão focada na cabeça do John, eu enfim pude compreender a Savannah.

Mas, devo admitir que a Savannah do filme não é a mesma do livro. A Savannah do filme é frágil, doce, encantadora, divertida e me identifiquei com ela. A Savannah do livro me passou uma imagem de uma mulher mais forte e leviana em suas atitudes, que não fiel aos sentimentos e seu coração, se deixou levar pelos acontecimentos e não lutou pelo que queria, simplesmente abriu mão sem pensar em quantas pessoas ela afetaria com essa decisão, principalmente a ela mesma. 

Spoiler (E eu fiquei com raiva dela em muitos momentos, um deles é quando Tim está no hospital e ela provoca o John tirando a camisa com ele vendo. O que ela queria? Trair o marido no hospital com o seu amor de juventude? Não aprovei. E nem no filme ela me fez achar aquilo aceitável) fim do spoiler.

Acho que a principal diferença do filme para o livro é física, pois no livro Savannah é morena e no filme é loira. Existem mais diferenças que eu não sei explicar bem quais são. Só sei que não achei que era a mesma personagem. Não estou criticando a Amanda Seyfried, mesmo porque gosto muito dela como atriz, mas que não achei a Savannah do livro a mesma Savannah que está no filme, isso eu não achei mesmo.

E o Channing Tatum está maravilhoso como John. Aqueles músculos de homem forte com aquele rostinho de menino carente é exatamente o John que eu imaginei. O cara forte que vai para guerra, faz e acontece, mas que gosta de carinho, e mesmo com todas as cenas horríveis de uma guerra não perde o sorriso inocente.

E como disse o final do filme é diferente do livro, mas os dois passam a mesma mensagem de que o amor muda tudo, mesmo em meio à guerra.

E me apaixonei pelo Nicholas e a forma como ele descreve o amor, é real demais! Alguém disse que era ficção, esqueça me envolvi demais com o John para achar que ele não existe, hahahaha.

Leiam o livro e assistam o filme. Assim saberão do que eu estou falando.

Ps. Vocês que disseram que gostaram da minha resenha, me empolguei, espero sinceramente que vocês gostem dessa, porque depois de “Querido John” vem “A última música”.

 

Anúncios

18 Comentários

Arquivado em Filmes, Livros

18 Respostas para “Querido John – Livro e Filme – Nicholas Sparks

  1. Uau, empolgou mesmo, hein!
    Nem vou comentar sobre o livro porque você já sabe que eu sempre fico triste. Só digo que eu me candidataria pra fazer o John esquecer a Savanah, hahaha. Sabe que foi difícil imaginá-la morena, lendo um livro que tem a Amanda Seyfrield na capa? rsrsrs Gosto da cara de mau do Channing. Quero ver o filme!

    Bjos

  2. Paulinha

    Estou doidinha pra ler esse livro e ver o filme. Mas não acho o livro pra comprar e queria ler primeiro para depois ver o filme.
    Muito boa a sua resenha! 🙂
    Eu pulei a parte do Spoiler… rsrsrs
    Agora vou esperar pela resenha de “A última música”, é outro livro muito falado. Deve ser muito bom também.

    Fica com Deus, querida!

    Beijinhos.

  3. Ivinha

    Eu também me candidato pra fazer o John esquecer Savannah. Realmente só temos o lado do John. gostei também do fato da mudança que deu no relacionamento dele com o pai.

  4. kelly

    Adorei seus comentários, e sabe, fiquei com a mesma sensação estranha em relação a Savannah.
    Como alguém vive algo tão intenso e escolhe acabar assim?? Acho que no livro a relação descrita por Nicholas para os persongens eh mais intensa do que no filme, então imagine minha frustração em ver Savannah desistindo de John. Ele não desistiu dela, somente fez o q qualquer americano faria naquele momento. Resumindo: como ela pôde não esperar por ele mais 2 anos?? Só 2 anos pra ter nos braços o amor de sua vida? Sabendo q vc eh o amor da vida dele tbm???
    Acho q Nicholas simplesmente gosta de provocar todo tipo de emoções em seus leitores, as quais vc descreveu mto bem. Até pq seria uma linda (e manjada) historia, se os dois ficassem juntos realmente, sem qq empecilho!
    Sou uma romantica declarada, gosto de uma linda historia, mas confesso que este foi o primeiro livro q me fez chorar, não o filme, mas o livro me fez chorar!

    • simplesmentemonalisa

      Kelly, o Nicholas tem o dom de provocar todos os sentimentos na gente.
      Amei seu comentário, volte sempre!
      Beijos

  5. Monaliisaaaa, essa resenha já tá oteeema!!!

    A proxima vai estar perfeita!

    Nuss… vendo tantas resenhas dos livros do Nicholas, eu imagino qe nas primeiras pags eu ja vou danar a chorar…

    E fala sério, ultimamente ese povo anda mudando a fisionomia desse povo de livro pra filme/serie, hein… é até uma mudança radical…

    Eu to aqui no pe da my irma, pra ela me dar ele, ate fiz uma musiquinha pra encher as paciencias dele. hahaha

    To esperando a ultima musica, tá??

    bjks

    • simplesmentemonalisa

      Que bom que gostou!
      Eu estou querendo ver o filme de “A última música” para resenhar tudo junto.
      Beijos

  6. greici

    ai ceus! será que so acho pra comprar??? será que nao tem pra baixar aqui na net esse livro filme???

    Quase chorei só de ler sua resenha Mona!!!

    ai, eu quero! quero! quero ler!!!!

    bjos querida. te gosto de montão tá?

  7. Andressa Maia

    Adorei o que você escreveu,ja vi o filme e estou doida para ler o livro eu ja queria agora com sua abordagem so fico mais interessaada.

    • simplesmentemonalisa

      Andressa, que bom que vc se interessou por minha resenha. O livro é lindo, eu particularmente sempre prefiro mais os livros do que os filmes, mas sempre gosto de ver o filme depois de ler o livro. Leia sim, que você com certeza vai gostar, o Nicholas é um dos meus autores favoritos, a beleza com que ele escreve sobre o amor é fenomenal!

  8. Eu também não conesgui imaginar ela morena. Irei ver o filme agr ! 😀

  9. Amanda

    Realmente a Savannah do livro tem um jeito diferente da q foi descrita pelo filme… Mas achei ruim um final alternativo… Será q não valeria a pena ser feliz ???.. os dois não fizeram por onde merecem esse amor ???.. eu levei em consideração q Tim estava doente e precisava de ajuda.. ela realmente é uma pessoa de caráter nobre e ainda cuidou do filho dele,Allan ..

  10. Paulinha

    èh! realmente o autor não gosta de finais felizes…
    amei o livro, e realmente ele me fez chorar, rir, ficar com raiva… e me fez pensar muito.
    Aproveitar o tempo que temos com pessoas que amamos… a vida passa sem que percebemos…!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s