Sweet Girl

Hoje vou falar de uma doce menina que faz os meus dias mais felizes!

Para quem não sabe no próximo domingo minha filha completa três anos, e impossível eu não ficar nostálgica com essa data tão próxima. Por quê? Ah, porque um monte de lembranças invadem minha cabeça e deixa meu coração apertadinho, apesar de estar muito feliz! Incoerente? E quem disse que mãe é coerente? Eu não sou, hahaha. Então, senta que lá vem um post enorme e cheio de recordações.

Tudo começou quando decidimos engravidar novamente (novamente, porque eu já tinha perdido um bebê), era o mês de agosto de 2006. Cris falou assim: “Se você não engravidar esse mês, você volta a tomar o remédio e tentamos novamente em janeiro”. E assim, ficou combinado. E não é que engravidei de primeira, hahahaha. E em janeiro já estava com um barrigão morrendo de calor, tomando mais de dez banhos por dia. Arrumamos tudo, preparamos quarto, roupinhas, fraldas (muitas fraldas) e curtimos bastante o barrigão. Sabíamos que era a Mariana desde 11 semanas de gravidez. O médico pediu para aguardar um pouco, antes de sair comprando tudo rosa. E com 16 semanas confirmamos mesmo que era Mariana a caminho. A Mari tem esse nome, desde os meus sonhos de criança, sempre pensei que se tivesse uma filha, ela se chamaria Mariana. Quando falei para o Cris, sobre esse nome, ele adorou, pois a mãe dele chamasse Maria, assim como minha mãe, minhas tias e minha avó. É muita Maria na família! E Mariana veio para homenagear essas mulheres maravilhosas e cheias de amor!

Quando a Mari nasceu, nem consigo descrever a minha alegria! É emoção demais! Dia 02 de maio de 2007, às 19:05h, minha vida ficou literalmente cor-de-rosa, assim como sempre sonhei!

E depois desse dia, tudo ficou diferente. Depois que se é mãe, nada, nunca, fica igual antes. As responsabilidades aumentam, as preocupações, você passa a ter um serzinho que depende de você para tudo. E isso é assustador! Vem logo na cabeça: “E se você não der conta? E se você não for uma boa mãe? E se você fizer alguma coisa errada? E quando chora e você não sabe o que é? E se ela estiver com frio, como vou saber? E se ela sentir dor, ela não sabe falar, como vai se comunicar comigo?” São tantos “se”, e você não tem resposta para eles.

Mas, um dia alguém me falou assim: “Quando nasce um filho, também nasce uma mãe!” E gente como isso é verdade. Eu pude comprovar a cada dia isso. Tudo bem que eu dei muita sorte, porque Mari quase não deu trabalho quando era neném. Sério, desde 27 dias que ela dormia a noite inteira, ela quase não chorava, era bem come e dorme, tranquila, calma. Quase não chorava. Não tinha cólicas, sempre adorou tomar banho. Enfim, foi tudo tão calmo, tão tranquilo, que todos os meus medos foram indo embora. E eu passei a descobrir o que cada resmungo significava.

E mais uma vez a internet na minha vida fez toda a diferença. Quando fiquei grávida, entrei em uma comunidade do orkut para bebês que nasceriam em maio de 2007. Essa comunidade existe até hoje, com outro nome, e ali fiz grandes amigas, que estiveram ao meu lado, tiraram as minhas dúvidas, participaram das minhas alegrias e também das minhas frustações. E nessa comunidade nos divertimos até hoje, compartilhando essa vida louca de mamãe. Amigas, muito obrigada vocês fizeram toda a diferença nesses três anos, quer dizer quase quatro, se contarmos a gravidez também! hehehe.

O primeiro ano da vida da Mari foi super comemorado. Todo mês fazíamos um bolinho e cantávamos parabéns. Eu fiz um livro de fotos, usando técnicas de scrapbooking, para guardar a recordação de todo esse primeiro ano. Quem ainda não viu e quiser ver, clique aqui (tem que ser meu amigo no orkut para poder ver). A festinha de um aninho foi linda, com o tema das princesas.

Rumo ao dois anos, começamos uma nova etapa. Agora tínhamos um bebê, que aprendeu a andar, e começou a falar, demonstrar suas preferências e gritar quando queria alguma coisa. Demonstrando uma personalidade forte e uma teimosia sem tamanho!  Nessa fase também começou sua vida de estudante. Descobrimos uma gatinha super engraçada, que adora fazer gracinhas para nos fazer rir. Seu aniversário de dois aninhos também foi comemorado com uma festinha linda em casa, e dessa vez o tema foi escolhido por ela: moranguinho.

Em direção aos três anos, começamos a perceber que o nosso bebê estava indo embora, e começamos a ganhar em troca uma menininha. Linda, doce, gentil, carinhosa, educada, prestativa, elétrica, geniosa e teimosa. Essas são as característica que melhor descrevem a Mariana.

Essa fase foi maravilhosa, divertida e estressante. Educar não é fácil! Não mesmo! Você ter que falar dez vezes, colocar no castigo “cantinho de pensar”, e contar até 100 (até 10 não funciona) para não perder a cabeça e dar um tapa. Escutar os gritos estridentes quando a vontade da pessoinha não é feita.

Mas, tem também o lado de escutar coisas gostosas como um “eu te amo mamãe”, assim bem espontâneo. Cantar e dançar, se divertindo como se você fosse criança junto com ela. Brincar de casinha, sem se preocupar em parecer ridícula. Ter uma companheira em todas as horas para te fazer rir das coisas mais bobas possíveis. Assistir DK (discovery kids) e cantar todas as musiquinhas junto com ela. Buscá-la na escola e ouví-la contar tudo o que fez. Receber no início do mês a pasta com todas as atividades do mês, e ver como ela está evoluindo e aprendendo coisas novas a cada dia. Ver ela fazer tudo o que aprende na aula de Jazz. Ouvir suas historinhas, muitas vezes inventadas por ela, haja criatividade! Ela fazer um desenho e vir toda feliz e dizer: “é para você mamãe”. Ou quando estou triste e choro, ganhar um abraço e ouvir: “mamãe não fica tirste, eu te amo e vou ser sua amiga para sempre!” Diz se não derrete o coração?Ou então depois de ganhar uma bronca: “mamãe, não briga comigo que eu fico bem triste e choro”, ainda faz o biquinho mais lindo do mundo.

Eu tenho como reclamar da vida? Deus foi muito generoso comigo, me deu muito mais do que eu pedi, realizou muito mais do que eu sonhei. E eu só tenho que agradecer!

Esse ano, infelizmente não terá festa. Estamos meio duros, com muitos gastos e pouco dinheiro entrando. Nós poderíamos nos sacrificar (colocar a corda no pescoço) e fazer uma festa, mas é melhor não, né? Se endividar para fazer festa, não é uma boa idéia. Eu ía fazer uma festinha na escola, tinha preparado tudo, mas eu não poderia participar, a escola não deixa participar ninguém de fora, é só para os amiguinhos da classe, e minha idéia era filmar, tirar bastante fotos, e como não ía dar para fazer isso, achei melhor cancelar e usar o dinheiro para comprar roupas e sapatos para ela. Mas, ela vai ganhar o presente que pediu (uma bicicleta), e vai ganhar o dia dela. Nós queríamos levá-la na quinta da boa vista e no zoo, que ela adora. Mas, o tempo por aqui não está ajudando. Então, vamos para o shopping deixar ela solta no playtoy, que ela ama! E assim ela vai comemorar os seus três anos, se divertindo e sendo criança. Claro que um bolinho para cantar parabéns vai ter! Isso é lei! E fico devendo a ela uma festança para o próximo ano!

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Mariana, Momentos especiais

8 Respostas para “Sweet Girl

  1. maravilhoso post,voce nasceu pra ser mãe,uma mãe que se dedica integralmente a filha,lindo vídeo,maravilhoso,a musica então no fundo,quase me fez chorar!Beijo no coração!

  2. Marcelle

    To emocionada… lindo lindo, o melhor foi saber que mesmo de longe eu participeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, pois cada coisinha que vc ia contando ia me recordando de uma passagem sua na comunidade…

    tenho certeza que ela vai se divertir muito no seu dia especial…

    Parabéns!!!!!!

    Beijinhos

  3. Ahhhhh, que post lindo! Que vídeo lindo, que TUDO lindo! Amei…

    Parabéns pra Mari, claro, mas tbm pra vc e pro seu marido, por todas as bênçãos! 🙂

    Beijos

  4. jurema

    amiga
    que linda homenagem para a sua princesa!!Parabens!!
    ter vc como amiga e muito bom!!
    beijos da ju e PH

  5. juliana

    Ahhhhh, que lindo, mona!!!
    fiquei com olhos cheios d´água lendo.

    só me deu um nervosinho do vídeo na hora do parto…rsrsr

    Que lindo, mona!!

    Esse post nem precisa de ” ênfase” rsrsrsrsrsrs

    t

  6. Dani Bueno

    Que lindo Mona!!!!
    Aniver dos nossos pequenos é uma emoção só! e fico muito feliz de participar desses anos com vocês,, mesmo que virtualmente.
    Beijos para essa linda meninoa no aniver.

    PS: não fica devendo festa nada… tudo que eles precisam nessa fase da vida é o papai e a mamãe por perto, o resto é tudo “confete”. O que mais importa na vida são vocês 3 juntos e felizes.

    Beijão

  7. Que lindo, amiga! A Mari vai ficar muito feliz quando crescer e ler essas suas lembranças tão bonitas.

    Hmm… Mais de dez banhos por dia? Meu Deus!

    Me convida pra festinha de quatro anos da minha sobrinha??? Pufavô, vai! rsrsrs

    (Eu ia mandar um presentinho de aniversário pra ela junto com seu livro, mas acabou que não deu, porque tô sem tempo pra passar no centro. Depois eu mando, atrasado mesmo.)

    Beijo

  8. Que lindo!!!!!!!!!!!!!
    Parabéns pra Mari! Que Deus a abençoe cada dia mais e pra vc também, Mona! Que é uma mãe maravilhosa!
    Que o dia de ontem tenha sido digno dessa princesa!
    Bj enorme

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s